top of page

A Literatura pode ser seu guia em Ouro Preto

4 livros essenciais para descobrir a história de Ouro Preto


Não há dúvida de que a cidade de Ouro Preto é uma das que mais inspiraram autores de diferentes épocas. Aqui a literatura anda lado a lado com a história.


Conhecer Ouro Preto através dos livros, amplia nossa visão dos fatos históricos, além de gerar reflexões e permitir uma viagem incrível a essa região mineira por meio das palavras. Essa é a união perfeita entre o prazer da leitura e a descoberta cultural.


Aqui estão quatro livros que trazem a cidade de Ouro Preto para mais perto de nós leitores, exaltando as belezas das suas construções, das suas ruas e de toda a sua importância histórica.


Neste post:




O Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles


Cecilia Meireles em Ouro Preto
Cecília Meireles em Ouro Preto. Foto: Letras Verso e Reverso.

Cecília Meireles tem uma obra muito extensa. Nascida no Rio de Janeiro no ano de 1901, ela se formou como professora e atuou na área da Educação, inclusive como diretora escolar. Entretanto, seu amor pelas palavras foi sempre inspirador a todos ao seu redor.


Lançado em 1953, O Romanceiro da Inconfidência é uma de suas obras mais famosas. O livro apresenta uma coletânea de poemas que narra história de Minas Gerais dos inícios da colonização no século XVII até a Inconfidência Mineira, revolta ocorrida em fins do século XVIII.


São 85 "romances" e diversos cenários poéticos que evocam os mais diferentes personagens e fatos da história mineira. A escravidão dos povos africanos, a descoberta do ouro e as conspirações políticas são o centro da trama. Isso sem contar os personagens que fazem parte desse grande teatro humano: Tiradentes, Marília de Dirceu, o Ouvidor Gonzaga e até mesmo Chica da Silva, a conhecida Rainha Negra do Tejuco (atual Diamantina).


Curiosidade: O Romanceiro da Inconfidência foi lançado durante o Festival de Inverno de Ouro Preto, isso em 1953. Cecília Meireles percorreu diversas cidades de Minas em sua pesquisa para a obra.



Marília de Dirceu
Marília de Dirceu em edição comentada pela editora Penguin/Cia das Letras

Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga


Esse é sem dúvidas o mais famoso livro ambientado em Ouro Preto. Lançado em 1792, as liras amorosas de Tomás Antônio Gonzaga se tornaram um sucesso sem fronteiras.


Símbolo máximo do arcadismo brasileiro, Marília de Dirceu é uma obra sem paralelos na literatura colonial. Ambientada no contexto do Arcadismo, um movimento literário que buscava resgatar os ideais bucólicos e pastorais, a obra é uma expressão do sentimento amoroso e das inquietações políticas e sociais da época.


A importância histórica de Marília de Dirceu reside em sua capacidade de retratar não apenas os aspectos amorosos, mas também os conflitos do Brasil colonial. O protagonista, Dirceu, simboliza não apenas um amante apaixonado, mas também um indivíduo imerso no contexto social de sua época.


Além disso, a obra é significativa por ser uma das precursoras do Romantismo no Brasil. Gonzaga introduziu elementos românticos, como a idealização do amor, a valorização da natureza e a subjetividade dos sentimentos, que posteriormente se tornariam características marcantes desse movimento literário.


Marília de Dirceu também tem importância histórica por ser um documento cultural que retrata a vida e os costumes da sociedade colonial brasileira. Através dos diálogos poéticos entre os personagens, o leitor é transportado para um mundo de nobres sentimentos e dilemas pessoais, oferecendo uma visão única da história e da cultura do Brasil no século XVIII.


Guia de Ouro Preto, de Manuel Bandeira


Guia de Ouro Preto, de Manuel Bandeira.
Minha edição do Guia de Ouro Preto, de Manuel Bandeira


Lançado em 1938, o Guia de Ouro Preto do poeta carioca Manuel Bandeira, é um dos livros fundamentais sobre a cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.


Repleto de lirismo, o guia serve como roteiro para as principais atrações da cidade. Bandeira era apaixonado por Ouro Preto e o seu guia demonstra isso através de uma apresentação cuidadosa e dedicada pesquisa histórica.


Manuel Bandeira também foi um grande divulgador da preservação do patrimônio histórico e cultural de Minas Gerais. É dele o poema-manifesto "Salvemos Ouro Preto", escrito em 1949 para a campanha de recuperação da cidade. Deixo aqui o seu trecho mais famoso:


As chuvas de verão ameaçaram derruir Ouro Preto.

Ouro Preto, a avozinha, vacila.

Meus amigos, meus inimigos,

Salvemos Ouro Preto.


Bem sei que os monumentos veneráveis

Não correm perigo.

Mas Ouro Preto não é só o Palácio dos Governadores,

A Casa dos Contos,

A Casa da Câmara,

Os templos,

Os chafarizes,

Os nobres sobrados da Rua Direita.


Ouro Preto são também os casebres de taipa de sopapo

Agüentando-se uns aos outros ladeira abaixo,

O casario do Vira-Saia,

Que está vira-não-vira enxurro,

E é a isso que precisamos acudir urgentemente!


Gentes da minha terra!

Em Ouro Preto alvoreceu a nossa vontade de autonomia nos sonhos frustrados

dos inconfidentes.


Em Ouro Preto alvoreceu a nossa arte nas igrejas e esculturas do Aleijadinho.

Em Ouro Preto alvoreceu a nossa poesia nos versinhos do Desembargador.


Minha gente,

Salvemos Ouro Preto.

Meus amigos, meus inimigos,

Salvemos Ouro Preto.

 

Curiosidade: O Guia de Ouro Preto, de Manuel Bandeira, foi um grande sucesso editorial no Brasil e na Europa, ganhando tradução para o francês. A edição original neste idioma é considerada uma raridade pelos colecionadores.


Boa Ventura!: A corrida do ouro no Brasil, de Lucas Figueiredo




Livro Boa Ventura
Livro Boa Ventura!, editado pela editora Record.

Se você deseja se aprofundar na história de Minas Gerais e de Ouro Preto, eis um livro essencial. "Boa Ventura", escrito pelo jornalista e pesquisador Lucas Figueiredo, é um livro que combina uma completa pesquisa histórica com uma narrativa direta e clara. O livro conta a formação de Minas Gerais durante o período de exploração do ouro.


Além disso, o livro também lança luz sobre questões como a desigualdade social, a escravização dos povos africanos e os movimentos de revolta que ocorreram em Minas, mais especialmente em Ouro Preto.


Ao apresentar uma narrativa envolvente e rica em detalhes, o livro convida o leitor a refletir sobre as contradições e desafios enfrentados pelo Brasil ao longo de sua história.


Curiosidade: Lucas Figueiredo também é autor de uma excelente biografia sobre o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. O livro "O Tiradentes: Uma Biografia" também é uma ótima leitura para quem deseja saber mais sobre esse personagem repleto de nuances.


Em Resumo


Ouro Preto é uma cidade inspiradora em todos os sentidos. No campo literário, poucas cidades possuem uma bibliografia tão completa.


Recomendo que pesquisem autores como Claudio Manuel da Costa, Alvarenga Peixoto, Bernardo de Guimarães, Laura de Mello e Souza, Augusto de Lima Jr. e Fritz Teixeira de Salles - todos eles possuem livros dos mais diferentes tipos sobre Ouro Preto e a cultura mineira.


Através dos livros, podemos descobrir detalhes ainda ocultos da história de Minas Gerais e de Ouro Preto. Fatos, personagens e estórias que se misturam com a identidade do povo brasileiro.


Se você como eu também é apaixonado por literatura e deseja conhecer Ouro Preto de um jeito diferente, não deixe de conferir o meu Passeio Tour Poético. Esse walking tour é baseado em outro livro incrível: a obra Dirceu de Marília, do autor Nelson Cruz. Nesse passeio literário, conheceremos mais sobre os lugares e personagens da história de amor mais famosa de Minas Gerais. Reserve já neste link.

308 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page